Maridos, amai vossas esposas


Não é a toa que as escrituras exortam os maridos a amarem suas esposas.
Não que os maridos não tenham esses sentimentos, mas porque há uma dificuldade de os homens expressarem, na prática, o que sentem por suas esposas.





Casamento é uma relação a ser cultivada diariamente pelos cônjuges, tendo o homem a maior parte desta responsabilidade.

 




Dietrich Bonhoeffler, teólogo alemão, morto no final de segunda guerra mundial, disse a um amigo às vésperas de seu casamento:
”até aqui o amor sustentou a relação de vocês. Daqui por diante, será a relação de vocês que há de sustentar o amor”.





Muitas vezes investimos pouco na manutenção do relacionamento conjugal, deixando-o em plano irrelevante, e , quando nos damos conta, nosso casamento começa a refletir profundos problemas que, por vezes, deixam marcas, como a solidão, a desconfiança, a insegurança, os maus tratos verbais e até físicos etc...





Ao estudarmos o livro de Efésios 5:25-33, iremos encontrar cinco características de um amor prático, dedicado ao desenvolvimento do convívio conjugal:
“Maridos, amai vossas esposas como também Cristo amou sua Igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para apresentar a si mesmo Igreja Gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.





Assim também os maridos devem amar as suas como a seus próprios corpos. Quem ama a sua esposa, a si mesmo ama...” O modelo de amor prático está evidente quando observamos as expressões :





“ ... Como também Cristo amou...”; “ ... Assim também os maridos devem amar ...”. Cristo é o modelo de um verdadeiro relacionamento de amor.





Amor prático : Cristo amou a sua Igreja realisticamente ao ponto de se dar por ela. Nós maridos não devemos amar nossa esposa pelo que ela pode nos dar ou pelo que é : boa cozinheira, boa mãe, excelente dona de casa, boa amante etc...

O nosso amor a ela deve ser uma expressão do entendimento de que Deus a fez e a deu para nós como expressão do seu amor: “...
trouxe-a à Adão..” – Gn 2:21-22



Amor sacrificial : Hoje em dia, muitas pessoas estão mais preocupadas em ter um relacionamento no qual possam receber algo, em troca de nada dar. Querem receber afeto mas não se dispõe em dar afeto; um relacionamento de mão única.

Estes não experimentam a beleza, e o sabor de um casamento que gradativamente se torna sólido e maduro, resultante da doação mútua.



Amor que edifica : Uma das principais motivações que o homem deve ter em seu coração é a de tornar possível à sua esposa ser o que ela deve ser como pessoa humana.

Não anula-la querendo que ela seja tudo aquilo que você é , pois como alguém pode completar o outro sendo exatamente iguais: “...





aperfeiçoai-vos, consolai-vos, sede do mesmo parecer, vivei em paz, e o Deus de amor e da paz estará convosco. II Corinthian 12:11

Amor voluntário : Jesus não perguntou a ninguém o que se lhe poderia oferecer em troca da entrega de sua vida. Ele percebeu a necessidade do ser humano e se deu.




Mulher sábia : Edifica sua casa e seus filhos. É cheia de amor. É prudente.

Mulher Tôla : Traz a tona coisas do passado, impedindo assim a operação do Espírito Santo em sua vida.

Manipula o marido, pois conhece suas áreas fracas, seus medos, e usa isto em seu benefício.



Usa os filhos como uma arma secreta para atingir marido, para desafiá-lo e agredi-lo.

Traz instalibiidade à família espondo-a a ataque inimigos.

Fala demais, expõe o marido, os filhos e os amigos, falando muito sem pensar, provoca brigas.




É rixosa , amarga, indelicada, nada lhe agrada:
"Melhor viver só do que com uma mulher rixosa". provérbios 25:24 .



Extraí do folheto do congresso Latino sobre família que foi-me dado tempos atrás por um amigo Pastor .

"Deus nos guardem na palma de suas mãos"

JFS



http://www.sonhofeliz.ezdir.net